Unidade Residencial de Ramalde

Porto, Ramalde, 1960

Diferentemente do que aconteceu no Campo Alegre, a ideia de Ramalde era a de instalar comodamente - em todos os sentidos - outros tantos 6000 habitantes. 

O plano foi executado tomando em conta dois projectos existentes (baseados no Bairro de Alvalade, o supra-sumo para a altura) e que se não integravam num esquema geral. Procurou-se então dimensioná-lo para permitir um mínimo de vida própria; o tráfego mecânico ia perdendo em importância à medida que se aproximava dum eixo central de peões, ligando as casas, o parque e o centro comercial. O equipamento era bastante desenvolvido e a orientação das fachadas a melhor possível - o que agravou um condenável geometrismo já condicionado pelo volume dos edifícios previamente projectados e dos quais se introduziram apenas algumas alterações. Passei ali alguns dos grandes momentos da minha vida profissional… Depois, a Câmara não fez as plantações previstas; os edifícios públicos e o parque não se realizaram; a entidade promotora do empreendimento não tornou possível a revisão dos projectos para a 2ª fase (que agora se terminou, apenas com uma nova disposição dos edifícios, cobertura de telhado e revisão da coloração das fachadas); a estrutura viária preconi- zada está comprometida como esta 2ª fase ocupa o local da Escola pré-primária. O desleixo nos espaços livres continua e a Federação das Caixas de Previdência parece não construir novos programas porque o custo dos terrenos teria ultrapassado as possibilidades.

Fernando Távora